VIGILÂNCIA DESPERTADORA No evangelho do primeiro domingo deste Advento Jesus dizia: “Não fiquem dormindo, porque vocês não sabem quando vai ser o momento. […] Vigiem, portanto, […] Fiquem vigiando!” (Mc. 13,33.35.37). É Jesus, em sua vinda de amor, alertando sobre a sua vinda de julgamento! O que significa “não fiquem dormindo!” Quem está dormindo? Em […] VIGILÂNCIA DESPERTADORA No evangelho do primeiro domingo deste Advento Jesus dizia: “Não fiquem dormindo, porque vocês não sabem quando vai ser o momento. […] Vigiem, portanto, […] Fiquem vigiando!” (Mc. 13,33.35.37). É Jesus, em sua vinda de amor, alertando sobre a sua vinda de julgamento! O que significa “não fiquem dormindo!” Quem está dormindo? Em […]

Arquidiocese de Botucatu

Liturgia Diária

A Voz do Pastor › 04/12/2014

VIGILÂNCIA DESPERTADORA

VIGILÂNCIA DESPERTADORA

No evangelho do primeiro domingo deste Advento Jesus dizia: “Não fiquem dormindo, porque vocês não sabem quando vai ser o momento. […] Vigiem, portanto, […] Fiquem vigiando!” (Mc. 13,33.35.37). É Jesus, em sua vinda de amor, alertando sobre a sua vinda de julgamento!

O que significa “não fiquem dormindo!” Quem está dormindo? Em que consiste este sono?

Dorme quem vive como seu Deus não existisse. Dorme quem vive como se fosse Deus e possuísse pleno controle de tudo e de todos. Dorme quem ignora sua origem, situação e destino final. Dorme quem desconhece o mistério do pecado e, sobretudo, menospreza o mistério do Amor de Deus: o mistério da encarnação, paixão, morte e ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Verbo que se fez carne, habitou entre nós e nos amou até a morte e morte de cruz. Dorme quem despreza a Igreja, mistério universal de salvação: “Quem recebe aquele que eu envio, está recebendo a mim e quem me recebe, está recebendo Aquele que me enviou.” (Jo. 13,20)

Pelo Batismo fomos despertados do sono do pecado. De olhos abertos, acordados, passamos a enxergar Deus como Pai e os outros como irmãos e irmãs. Passamos a ver claramente nossa origem gloriosa, nossa dignidade de filhos, nosso lugar na criação e também nosso destino eterno. Em estado de vigília, acolhemos Jesus Cristo em sua vinda de amor e nos apaixonamos por ele e seu reino. Passamos a compreender que “pecado” não é apenas “fazer o mal”, mas, sobretudo, deixar de fazer o bem, deixar de amar como Jesus.

“Não fiquem devendo nada a ninguém, a não ser o amor mútuo. Pois, quem ama o próximo cumpriu plenamente a Lei. De fato, os mandamentos: não cometa adultério, não mate, não roube, não cobice, e todos os outros se resumem nesta sentença: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo. ’ O amor não pratica o mal contra o próximo, pois o amor é o pleno cumprimento da Lei. Comportem-se dessa maneira, principalmente porque vocês conhecem o tempo, e já é hora de vocês acordarem: a nossa salvação está mais próxima do que quando começamos a acreditar. A noite vai avançada, e o dia está próximo. Deixemos, portanto, as obras das trevas e vistamos as armas da luz. Vivamos honestamente, como em pleno dia: não em orgias e bebedeiras, prostituição e libertinagem, brigas e ciúmes. Mas vistam-se do Senhor Jesus Cristo, e não sigam os desejos dos instintos egoístas.” (Rm. 13, 8-14)

Se pelo Batismo fomos acordados para Deus – admirável na criação e mais admirável ainda na redenção – pela Crisma, e sustentados pela Eucaristia, nos tornamos missionários, “despertadores” dos que ainda dormem. “O Espírito Santo descerá sobre vocês, e dele receberão força para serem as minhas testemunhas…” (At. 1,8)

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.