Preces das crianças na pandemia Preces das crianças na pandemia

Arquidiocese de Botucatu

Notícias › 08/04/2021

Pandemia: as preces das crianças

Num momento de tantas mortes e com aumento dos casos de pessoas infectadas pela Covid-19, as preces do pequeno Daniel Braga Godinho, 10 anos, coroinha na Paróquia São João Batista, São Roque (SP). No Domingo de Ramos o menino com a sua avó Jesuína Rodrigues Pardinho reza pedindo a Nossa Senhora para cuidar de sua família e para receber as pessoas que morrerem vítimas deste vírus.

“Daniel é um sinal de esperança neste tempo de Pandemia.” Dom Roberto Francisco Ferreria Paz – Bispo Diocesano de Campos -RJ

Um exemplo de fé

Daniel é um exemplo de fé para a comunidade paroquial. Desde os 6 anos que se tornou coroinha e já demonstrava amor pelo serviço ao altar e neste tempo de pandemia não está servindo nas missas por orientação da igreja para cuidar da saúde dos menores. E desde os 3 anos de idade já rezava a oração do Anjo da Guarda.

“Meu filho desde os 3 anos de idade já rezava a Nossa Senhora e quando recebemos o oratório da Mãe e Rainha já mostrava a confiança. Em casa é muito carinhoso com minha mãe e rezam juntos pelo Papa, pela Igreja e agora pelo fim da pandemia”, disse a mãe Cristiane Braga.

Nas Redes Sociais Daniel é o pequeno evangelizador e demonstra confiança de que esse tempo de pandemia vai passar e sonha em poder voltar a servir nas missas. E um exemplo de um pequeno e grande missionário que com seu exemplo faz despertar muitas pessoas para a fé.

A oração na família

Daniel nasceu numa família que desde cedo ensinou o valor da oração e a ter confiança em Deus e em Nossa Senhora. Com a pandemia teve de suspender as aulas realizadas de forma virtual. As missas realizadas somente pelas redes sociais. Junto da avó Jesuína Rodrigues Pardinho e da mãe Cristiane Braga fala da saudade do convívio com outras crianças, mas demonstra a confiança no fim deste momento marcado por mortes e muito sofrimento.

“Na verdade, no coraçãozinho dele sonha tanto que essa situação mude, que esse vírus vá embora e possa voltar a rotina dele. É difícil tudo mudou, não vai para escola, não tem contato com as outras crianças, aqui em casa só eu e a avó, não tem mais como ir para a igreja. Ele desde pequeno vai para a igreja e de repente isso foi tirado de uma forma tão brusca e repentina e isso é difícil imaginar para uma criança tão pequena”, relata a mãe.

Educado na fé e valores

“E sabe o que eu penso, e tento passar pra ele que tudo isso que estamos passando é pra no futuro possamos melhorar como pessoas…sermos melhores como pessoas mesmo, dar valor o que realmente importa…” Cristiane Braga

Cristiane destaca a alegria de poder passar para o filho a importância de cultivar valores, sempre educado e possa crescer um cidadão que respeite as pessoas, e confie em Deus. E percebe algumas criticas por estar sempre na igreja.

“Tenho até parentes que falam, nossa, esse menino na igreja sempre e tão cedo, coitado…eu falo não, que benção esse menino tão cedo na igreja… porque ele vai crescer com valores. Eu sempre falo para o Dani, não se apegue a dinheiro, dinheiro é bom para nossas necessidades, mas não é tudo, se apegue à sua fé, Deus, seja um bom menino, nunca bata em mulher, nunca, nunca minta, não faça os outros sofrerem, não faça com os outros o que você não quer que façam com você.  E sabe o que eu penso, e tento passar para ele que tudo isso que estamos passando é para no futuro possamos melhorar como pessoas…sermos melhores como pessoas mesmo, dar valor o que realmente importa”, disse Cristiane.

 

Fonte: VaticanNews

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.