Arquidiocese de Botucatu

RCC Arquidiocese de Botucatu promove Retiro para Servos

Nos dias 27 e 28 de abril, a Renovação Carismática Católica (RCC) da Arquidiocese de Botucatu realizou seu Retiro anual para servos, no Centro Pastoral do Santuário Nossa Senhora da Piedade, na cidade de Lençóis Paulista. Cerca de 350 pessoas participaram de momentos de oração, adoração, louvor e partilhas durante os dois dias do retiro. Além disso, crianças e adolescentes de 4 a 14 anos puderam viver também momentos especiais com Deus no “retirinho”, conduzido pelas Irmãs da Fraternidade Jesus Salvador (Salvistas).

Previamente agendado para estar presente neste Retiro, o secretário-geral da RCC Brasil, Vinícius Simões, não pode comparecer por problemas de saúde. Iniciando o encontro, houve a realização do “Grupo de Oração Ruah”, que passou a ser feito a partir do início deste ano de forma itinerante, em todos os encontros a nível arquidiocesano.

Marcela Oliveira, coordenadora arquidiocesana do Ministério de Pregação e do movimento na cidade de Itatinga, pregou sobre o tema “Preparai o caminho do Senhor” (Lucas 3, 3-6), destacando a conduta de São João Batista, que deve servir de exemplo para os servos. “João Batista tinha uma coerência de vida, e as pessoas reconheciam isso. Ele conhecia e pregava a verdade, preparando as pessoas para que Jesus pudesse entrar nos corações. Falar de Jesus é fácil, mas viver o que Jesus quer e submeter-se aos planos dEle não é fácil”.

Após a pregação, realizou-se um momento de oração pedindo ao Espírito Santo o dom da verdade, para que todos pudessem ser inteiramente do Senhor Deus, nascendo de novo para uma vida transfigurada. “Que o nosso coração aponte somente para o Senhor, não para caminhos errados e muito menos para nós: temos que ser rastros de Deus, de santidade, de felicidade verdadeira e contagiar as pessoas para o Senhor!“, afirmou Marcela.

Após o Grupo de Oração, o Reitor do Santuário Nossa Senhora da Piedade, Pe. Adauto Martins, acolheu a todos os servos, destacando a necessidade de espalhar a alegria da Ressurreição de Cristo. “Que vocês experimentem Jesus na oração e, assim, as pessoas possam se sentir atraídas para o Senhor, formando um mundo mais santo e cumprindo nossa missão de sermos discípulos e missionários”, disse.

O ex-coordenador da RCC Arquidiocese de Botucatu, Lucas Soares de Oliveira, atualmente em uma experiência vocacional na Fraternidade Jesus Salvador em Santo Amaro/SP, conduziu a primeira pregação “Conduzidos pelo Espírito Santo através do deserto”, em que foram destacadas as tentações de Jesus (Lucas 4, 1-13) e a vivência correta do deserto em nossas vidas, como local de encontro com Deus, e não como local de morte. “Todas as vezes que o Espírito Santo nos permite entrar no deserto, o que atrapalha a nossa intimidade com o Senhor precisa morrer! O deserto é primordial para a vida do cristão, ainda mais para o carismático. Neste momento, a nossa fé é purificada, pois estamos centrados em Deus”.

Para Lucas, os principais problemas do carismático no deserto são tentar dialogar com o mal e se deparar com suas próprias dificuldades. “O caminho para sair do deserto está no poder da Palavra de Deus que silencia o demônio porque, se discutimos com ele, nós nos revestimos como poderosos e colocamos máscaras, entrando numa secura espiritual”. No momento de oração, lembramos as nossas dificuldades e desertos e pedimos a força do Espírito Santo para prosseguir decididamente, quebrando toda mentira, toda falsa imagem de Deus e de nós mesmos.

Na segunda pregação do dia, o coordenador da RCC Arquidiocese de Botucatu João Leandro Chaguri desenvolveu o tema “Enquanto caminhamos, somos curados”, a partir da passagem da cura dos dez leprosos (Lucas 17, 11-19), e destacou que o Senhor está indo para Jerusalém em um caminho de subida mas, antes disso, passou por um vale em que estavam os leprosos. “Sabendo de nossa fraqueza, Jesus, antes de se entregar na Cruz, passa pelo vale da nossa humanidade, não se contaminando com ela, mas purificando a nossa miséria, para mostrar que é possível chegar ao céu”.

Destacando alguns aspectos da lepra (atualmente chamada de hanseníase), João Leandro fez uma comparação com os altos e baixos da vida espiritual. “Na caminhada, podem aparecer ‘lepras’, ou seja, insensibilidades que afloram quando a imunidade baixa. Diminuímos a nossa ‘imunidade espiritual’ quando nos envolvemos mais nas coisas de Deus do que no Deus das coisas e olhamos demais para nossas dificuldades. Precisamos ter a coragem de reconhecer estas lepras, olhar para o Crucificado e pedir Sua misericórdia”. Após a pregação, houve um momento de oração em que pudemos expor para Jesus nossas lepras e pedir para Ele a força para continuar a caminhar, pois é no caminho que somos curados.

A Santa Missa do sábado foi presidida pelo Pe. Fernando Maróstica, da cidade de Macatuba e assessor eclesiástico da RCC da Arquidiocese. Na homilia, o sacerdote destacou a contribuição do movimento para a Arquidiocese de Botucatu e a importância de testemunhar a Ressurreição do Senhor. “Aquele que crê e acredita na Ressureição é enviado para anunciar aos povos esta verdade. Ressurreição é vida nova, novo pensamento, atitudes, comportamento, decisão pela santidade. Quando cremos verdadeiramente nesta realidade, Cristo age em nós e não tem quem nos aprisione, porque Ele está conosco”.

Na última pregação do dia, Lucas Soares falou sobre o tema “Fica conosco, Senhor!”, perpassando a passagem dos discípulos de Emaús (Lucas 24, 13-35). Assim como na pregação anterior, frisou-se que persistir na caminhada com a presença de Jesus, em meio às adversidades, é essencial para a vida carismática. “No caminhar da nossa vida, Jesus nos dá sinais e cada vez mais Ele se revela a nós! Jesus não quer ninguém parado, pois o Espírito de Deus é movimento. Conforme avançamos, Jesus caminha conosco e, quanto mais nós caminhamos na Palavra, mais nos aproximamos do Cristo ressuscitado”.

Citando o Catecismo da Igreja Católica, Lucas afirmou que a cada Eucaristia, acontece uma nova efusão do Espírito Santo. “Quando é partido o pão, acontece uma nova manifestação do Espírito e os incrédulos começam a acreditar, os tristes se alegram, os descrentes começam a acreditar. Precisamos redescobrir a graça da adoração pois, independente da dificuldade, Jesus sempre caminha conosco!”. Em seguida à pregação, encerrando as atividades do dia, houve um momento de Adoração ao Santíssimo, em que pudemos olhar para Aquele que nos olha e deixar todas as misérias aos pés dEle, para que o Senhor assuma seu lugar em nossa vida e no nosso servir.

Já no domingo, 28, a oração da manhã foi voltada para a Virgem Maria, com a presença do ícone de Nossa Senhora de Pentecostes. Iniciando com a oração do Magnificat (Lucas 1, 46-55), Lucas Soares conduziu os servos a depositarem suas vidas, sonhos, Ministérios e Grupos de Oração nas mãos de Maria. “Maria vive a alegria do louvor, é exemplo de docilidade para toda a Igreja, é uma mulher de firmeza e que tinha certeza de quem Deus é e de quem Ela é. Ela nos ensina a ser dóceis à voz de Jesus e às inspirações do Espírito Santo”.

Na última pregação do Retiro, João Leandro motivou os servos a serem “Como águias”, a partir da passagem de Isaías 40, 28-31, em que mostra que é natural se cansar, mas que é necessário se levantar e revigorar suas forças em Deus. “Para a gente levantar vôo para Deus, não é fácil, pois às vezes não nos desprendemos das situações terrenas ou não conseguimos nos deixar levar pela brisa do Espírito Santo! Às vezes, somos rojão que, quando chega num ponto alto, estoura e desce, não se mantendo nas alturas”.

João salientou a importância de resgatarmos nossa essência como filhos e filhas de Deus e não nos rebaixarmos ao pó que é destinado à serpente, conforme mostra o livro do Gênesis, mendigando as migalhas ao invés de experimentar os manjares do céu. “Nós fomos feitos para as coisas do Alto, não para sermos ‘águias de galinheiro’. Deus resgatou na Cruz a nossa dignidade de filhos dEle. Vamos voltar à essência de águias, deixar o Senhor sustentar o nosso voo e levar nossos irmãos para o céu!”.

No momento de oração, fomos conduzidos a pedir a graça de sermos verdadeiros carismáticos (não mais medíocres), com os olhos voltados para o Senhor e sabendo aonde se quer chegar. “Se fomos RCC na essência, na radicalidade que devemos ser, seremos felizes no nosso serviço! A nossa missão é levar o Batismo no Espírito Santo a todos os lugares, e é Ele mesmo que nos capacita! Precisamos ser carismáticos autênticos no nosso proceder, no dia-a-dia, que se sentem felizes por servir e por serem católicos!”, exortou João. Depois de um espaço para testemunhos, foram feitos convites para diversas atividades do movimento nos próximos meses.

Encerrando o Retiro, houve a celebração da Santa Missa pelo Arcebispo Metropolitano de Botucatu, Dom Maurício Grotto de Camargo, concelebrada pelos Padres Adauto Martins e Rafael Paixão (respectivamente, Reitor e Vigário do Santuário Nossa Senhora da Piedade). Em sua homilia, Dom Maurício destacou o envio dos discípulos em missão por Jesus e a existência de muitos “Tomés” que precisam ver, em cada cristão, as marcas do amor de Deus. “Se quisermos corresponder ao Evangelho de hoje, a pergunta de Jesus é: você tem consciência de que, como o Pai me enviou, Eu envio você? O que você precisa para ser enviado? Jesus chama permanentemente a nós para experimentar a paz dEle e para a missão! Não é necessário muito esforço para ser missionário, mas é preciso ser testemunha do amor de Deus!”.

Ao final do retiro, as crianças e adolescentes, com o auxílio das Irmãs Salvistas fizeram apresentações especiais, mostrando que a alegria do Senhor é a nossa força e que, na unção do Espírito, podemos louvar e bendizer o Seu nome!

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com