Pastoral Pastoral

Arquidiocese de Botucatu

Liturgia Diária

Sem categoria › 28/10/2015

Síntese das Assembleias Paroquiais das Regiões Pastorais da Arquidiocese de Botucatu

logoBrasao1º MOMENTO (VER): COMO ESTÁ SENDO REALIZADA A PASTORAL DOS SACRAMENTOS NA ARQUIDIOCESE DE BOTUCATU?

Qual o significado e a importância dos Sacramentos para os fiéis católicos?

– Os Sacramentos foram instituídos por Jesus Cristo e confiados à Igreja, como canais e instrumentos  da  graça divina.

– Muitos católicos desconhecem a natureza, o significado, a importância  e a necessidade dos  Sacramentos.

– Outros católicos procuram pelos Sacramentos motivados  pelo  costume familiar, como expressão de um ato social, para cumprir um ritual, muitas vezes, mágico, ou simplesmente para cumprir com as leis da Igreja.

–  Existe, por vezes, uma grande  dicotomia entre a santidade decorrente, consequência da vivência  dos Sacramentos  e a vida concreta dos  fiéis católicos.

O que os fiéis Católicos comentam a respeito da preparação para os Sacramentos?

– Para muitos  que procuram pelos Sacramentos,  os  “Cursos de preparação”  são desnecessários e, e até mesmo, uma   perda de tempo.

– Constata-se  a falta de preparação de muitos  Agentes da Pastoral dos Sacramentos, seja em relação ao conteúdo,

como também quanto à metodologia e à dinâmica  dos Cursos ou Encontros de preparação.

– Deveria haver mais opções de datas e horários, ou uma melhor adequação às  condições concretas da vida  dos paroquianos.

– A preparação poderia ser mais personalizada, considerando melhor as condições de tempo dos interessados e dos Agentes da Pastoral dos Sacramentos.

– Em vez de Encontros de preparação para os Sacramentos, a presença de uma Catequese Sacramentária  continuada, envolvendo as Famílias e atingindo a Paróquia inteira.

– Nos Cursos de preparação para os Sacramentos trabalhar mais o aspecto Querigmático ou primeiro Anúncio, como fundamento da vida de fé e  da participação na vida pastoral e litúrgica da comunidade.

Quais são os comentários a respeito do modo como são celebrados os Sacramentos?

– As pessoas, em sua grande maioria,  gostam dos rituais e da espiritualidade que envolve a celebração dos Sacramentos e, também,  acreditam ser bastante satisfatório o modo como os Sacramentos são celebrados.

– Alguns comentam a respeito da falta de uma regra geral, considerando que cada Padre celebra de um modo ou de um jeito. Exemplo: O Sacramento do Batismo – Alguns exigem a participação na Missa, antes do Batismo; outros batizam durante a Missa; uns celebram muito rápido, enquanto outros, demoram muito,  tornando a celebração muito enfadonha e cansativa.

– Outros falam dos problemas de acústica ou de som das igrejas, da falta de organização das celebrações, sem a devida sintonia entre o Presidente, os membros das Equipes de Liturgia, do Ministério de Canto e de outras funções.

– Muitas vezes, por causa dos outros compromissos dos Padres ou Ministros, falta uma maior atenção aos participantes, antes e depois das celebrações.

As atuais orientações sobre os Sacramentos presentes no Guia Informativo da Arquidiocese são suficientes, atualizadas e observadas em todas as Paróquias?

– A maioria dos fiéis e lideranças das Paróquias desconhecem  e  não possuem acesso às orientações presentes no Guia informativo Arquidiocesano.

– As orientações para os Sacramentos  são apresentadas  de modo diferente, e, por vezes, contraditórias, até mesmo entre  Paróquias, de uma mesma cidade.

–   Maior divulgação  do Guia entre os fiéis  leigos ou fazer uma Síntese das Diretrizes e distribuí-las entre os membros da comunidade paroquial.

– Necessidade de se atualizar as Diretrizes, considerando as exigências atuais:  uniões estáveis ou somente no civil, casais em segunda união, relacionamentos  homoafetivos, as condições necessárias para ser padrinho de Batismo, Crisma e Casamento.

Como são vistas as taxas que a Arquidiocese determina para os Sacramentos e os preços que as Paróquias estabelecem, sobretudo, para a celebração do Sacramento do Matrimônio?

– No geral, falta conscientização a respeito do significado e da função das Taxas na vida da Arquidiocese.

– Presença de comentários negativos considerando as Taxas como  ação de  “cobrar os  Sacramentos”.

– Os mais conscientes e engajados consideram as Taxas  estabelecidas pela Arquidiocese como necessárias e, até mesmo, justas.

– Outros, afirmam que os valores das Taxas dos Sacramentos estabelecidas pela Arquidiocese são demasiadamente altos, impossibilitando, por vezes, que   fiéis das  classes  mais pobres se  aproximem dos Sacramentos.

–  Quanto ao Sacramento do Matrimônio, alguns comentam  sobre a  diferença no valor das  Taxas entre as Paróquias, em especial, quando isso acontece numa mesma cidade.

– Que não seja  cobrado  pela “transferência” do processo do Matrimônio.

– Alguns acreditam que, em relação aos Sacramentos, os  Dizimistas deveriam ser isentos das Taxas.

O que as pessoas afirmam a respeito da Secretaria Paroquial naquilo que se refere à acolhida, orientação e preparação da documentação para a celebração dos Sacramentos?
–  Em sua maioria, as pessoas afirmam que as Secretárias (os) ou Equipes de Secretaria atendem bem e orientam com a devida presteza e de forma clara.

–  Alguns afirmam que determinadas  Secretárias (os)não estão preparadas para a função, não são claras nas orientações ou  explicações,  e atendem as pessoas de modo não muito generoso ou educado.

– Deveria haver  maior sintonia entre o Pároco, a Secretaria Paroquial  e as Pastorais e Movimentos paroquiais.

Por que muitos Católicos estão deixando de participar dos Sacramentos?
– O crescente processo de secularização, o desconhecimento do Evangelho e da Doutrina Católica e a falta de testemunho  de muitos  membros da  Comunidade católica.

– Alguns, ao se depararem com as exigências da vivência dos Sacramentos, com suas consequências e implicações, em todas as dimensões da vida, acabam desistindo.

– Em relação ao Sacramento da Eucaristia, muitos, por comodismo ou por desconhecerem a dimensão comunitária da fé, acreditam que  seja suficiente assistir à  Missa pela televisão, Internet ou ouvi-la pelo Rádio.

– Outro fator que dificulta a  participação nos Sacramentos é a centralização dos trabalhos pastorais, na Matriz, descuidando, desse modo, dos Bairros, da periferia geográfica  da Paróquia.

– A passagem para  outras práticas religiosas, que não são muito exigentes ou, pelo menos,  mais flexíveis, principalmente em relação ao Sacramento do Matrimônio.

– A difusão da Teologia da Prosperidade, com a procura   desenfreada pelo  imediatismo do sucesso, da saúde e  do dinheiro, mediante as facilidades das  “graças e curas” que os novos Movimentos religiosos ou Seitas  oferecem, sem  que as pessoas se vejam  “obrigadas” a assumir compromissos na linha do serviço ao outro, da doação em vista do Bem Comum, ou mesmo,  cumprir certas “regras”, consideradas, por demais exigentes.

– Na maioria das vezes por ignorar a importância dos Sacramentos.

– Algumas pessoas reclamam da falta de acolhida, de gentileza  e de educação de alguns Padres e de outros membros da Comunidade católica.

– Em vista de uma maior e melhor participação, que os Padres e os Agentes de Pastoral insistam com mais ênfase e entusiasmo, seja sobre a natureza e significado, como também sobre a  importância e a  necessidade dos Sacramentos na vida dos cristãos-católicos.

3º MOMENTO ( AGIR): A PASTORAL DOS SACRAMENTOS NA ARQUIDIOCESE DE BOTUCATU: COMO  QUEREMOS QUE SEJA ?

O que significa uma Pastoral dos Sacramentos onde estivessem presentes os seguintes objetivos: Cuidar dos que já participam, acolher bem os que nos procuram e procurar pelos afastados?

– Utilizando-se da procura pelos Sacramentos, seria uma pastoral evangelizadora, ativa, participante, abrangente e inovadora, sendo menos teórica e mais vivencial.

– Um modelo de Pastoral dos Sacramentos alicerçada no amor a Cristo e inspirada na vida das Primeiras Comunidades, que valoriza a vida comunitária e o espírito missionário; melhor estruturada, organicamente organizada, com orientações claras, com as Pastorais mais atuantes, num processo contínuo de descentralização e oferecendo espaço para participação de novos  Agentes de Pastoral.

– Seria a Pastoral  ideal!

2- Diante de tudo o que foi  analisado e estudado, como deveria  ser organizada a Pastoral dos Sacramentos na Arquidiocese de Botucatu?

– Antes de tudo, com a elaboração do Diretório Arquidiocesano da Pastoral dos Sacramentos e, que o mesmo, seja seguido em todas as Paróquias e Comunidades católicas da Arquidiocese. (Alguns perguntam: Cada Região Pastoral não poderia ter o próprio  Diretório da Pastoral dos Sacramentos?)

– Criar a Pastoral dos Sacramentos, com uma Equipe Arquidiocesana responsável, seja para ajudar na implantação e aplicação das orientações arquidiocesanas contidas no Diretório Arquidiocesano, como para coordenar e incrementar a formação permanente dos Agentes da Pastoral dos Sacramentos, das Secretárias (os), das Equipes de Secretarias, com subsídios de conteúdo específico, em sentido Querigmático, e de fácil compreensão, para cada Sacramento.

–  As Pastorais, diretamente ligadas aos Sacramentos, estejam organizadas e funcionando nas Paróquias e nas Regiões Pastorais, inclusive, com a respectiva coordenação Arquidiocesana, conforme determina  a  orientação pastoral comum da Arquidiocese.

– Cada Paróquia, sempre a partir do Diretório Arquidiocesano,  poderia  criar no seu território a   Pastoral dos Sacramentos, com a finalidade de melhor organizar e articular as atividades pastorais relacionadas aos Sacramentos.

– Maior atuação do Arcebispo no que se refere às  normas e leis que devem ser observadas, em toda a Arquidiocese.

– Nomeação de 1 Padre para a função de Assessor Arquidiocesano da Pastoral dos Sacramentos.

3-Apresente sugestões em vista de um possível Diretório Arquidiocesano da Pastoral dos Sacramentos.

– Criar dispositivos e instrumentos para fazer com que todas as Paróquias  conheçam e observem as   Diretrizes Arquidiocesanas.

– Tratar de todos  os Sacramentos oferecendo os fundamentos bíblico-teológicos, litúrgicos   e pastorais de cada um deles.

– O Diretório Arquidiocesano seja elaborado de modo objetivo, prático, de fácil acesso e que contenha todo o necessário a respeito da Pastoral dos Sacramentos.

Estabelecer práticas pastorais que possam ser executadas antes e depois da celebração dos Sacramentos.

– Deixar claro: – a questão da importância, da  necessidade, da duração dos Encontros e o tempo de validade da preparação para cada Sacramento; – o local para a celebração dos Sacramentos; – padronização dos valores das Taxas; – os Documentos necessários para a Secretaria Paroquial; – o número e as condições para ser Padrinho (a) de Batismo, Crisma e Matrimônio; – o número de “ entradas” permitidas no Sacramento do Matrimônio; – os desafios pastorais, na documentação e celebração dos Sacramentos, numa cidade com mais de uma Paróquia.

– Visita do Arcebispo às  Paróquias, incentivando a união, a participação  e a comunhão nas Paróquias, entre as Paróquias e em toda a  Arquidiocese.

Pe. José Hergesse – Coordenador Arquidiocesano de Pastoral  – Botucatu, 26 de outubro de 2015

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.